Crescimento do E-commerce na contramão da crise

Crescimento do E-commerce na contramão da crise

Durante a crise econômica de 2016, observamos a queda no número de vendas que afetou diversas áreas do cenário nacional, como a educação, agropecuária, indústria e o varejo. Em contrapartida o mercado virtual se manteve atuante tendo um crescimento de 7,4% em comparação ao ano anterior, registrando R$ 44,4 bilhões de faturamento. O resultado foi influenciado, principalmente, pelo trabalho de divulgação, estratégias de preço e mercado, para que os consumidores continuassem comprando.

Vendas por mobile.

O que antes era uma tendência, hoje se faz realidade, 21,5% das transações online em 2016 foram efetuadas através de smartphones. Sendo que em 2015 foram registrados apenas 12%.

Black Friday

A última sexta-feira do mês de novembro tornou-se conhecida pelas oportunidades de consumo de produtos com preços promocionais. Dando aos lojistas oportunidade de aumentar seus faturamentos. No último ano, em 24 horas de negociação foi registrado um faturamento de R$ 1,9 bilhão, o equivalente a 13 vezes a média de uma sexta-feira comum.

Conhecimento de público e mudança de mercado

Vale destacas a importância de estudar ainda mais o público consumidor, para entender suas preferências e oferecer aquilo que eles desejam e esperam de sua loja virtual. Em 2016, o frete grátis caiu dois pontos percentuais e 61% das comprar foram feitas com frete pago, revelando consumidores mais preocupados com a qualidade do produto e o prazo de entrega.

O brasileiro continua consumindo, basta entender as condições ideais para levá-lo a sua loja virtual. O E-commerce crescerá 12% neste ano de 2017, com estimativas que alcançam a faixa dos R$ 50 bilhões, prevê a consultoria E-bit. Diante dessa estimativa, cabe aos lojistas certificarem-se de que seus e-commerces estão devidamente preparados para atender ás demandas e exigências do mercado consumidor.