O que preciso saber antes de contratar alguém para fazer o site da minha empresa?

Dentro da empresa, como qualquer outro investimento, é sempre imprescindível saber o que está fazendo e se é a melhor decisão. A regra não muda quando se trata de contratar alguém para este serviço.

O problema é que se você vende roupas, materiais de construção, corta cabelos ou tem qualquer outra atividade muito diferente da relacionada com desenvolvimento web, é provável que não entenderá nada do que lhe será oferecido, principalmente se for daqueles “consultores” (Lê-se vendedores ou picaretas dependendo do indivíduo) que ficam “enchendo lingüiça” com termos técnicos e palavras difíceis para querer mostrar conhecimento e esquecem que o importante é o cliente entender o que está comprando.

Segue abaixo, para você estar mais preparado, um guia básico do que é importante saber nessas horas.

  • Qual o tipo de site é ideal para meu negócio ou empresa?

Descubra qual a melhor linha de projeto para o seu negócio / bolso e foque nisso.

Não dará muito certo você comprar um BMW esportiva se você trabalha em uma fazenda! Por mais que pareça ridícula essa comparação, acredite que acontece freqüentemente no mundo da web. A empresa tem um ramo que necessita imensamente de aplicações e serviços on-line, daí vê um site de marca de roupa “bonitinho, todo piscandinho em flash” e acha que aquilo fica legal para sua empresa, o final é um monte de dinheiro jogado fora!

  • Hospedagem. O que é e como funciona?

Não, não estou falando do hotel onde ficará a equipe de desenvolvimento do seu site, é o lugar onde o seu site ficará para funcionar. Vamos começar do zero.

Para um site funcionar perfeitamente ele precisa de um endereço, que é aquele que vem depois do “www” como por exemplo planweb.com.br e chamamos isso de domínio. Quando um domínio é registrado, informamos nele o “lugar” onde o site está hospedado (colocado) para que quando as pessoas digitarem o endereço elas sejam direcionadas para ele.

Esse “lugar” são computadores especialmente preparados para armazenar sites e aplicações deste tipo, eles ficam ou pelo menos deveriam ficar online o tempo todo e com fortes proteções para que os visitantes consigam visualizar o site mas sem invadir ou danificá-lo.

Existem empresas que fazem do próprio servidor local um servidor web, isso é possível mas muito arriscado se não for projetado perfeitamente para isso e monitorado por um profissional especializado.

  • Qual é o preço justo a pagar pelo site?

Isso é o assunto que dá muita discussão e pode ter certeza que é impossível chegar em um denominador comum. Mas veja minhas sugestões e considerações e se concordar aproveite.

Entendo que o preço justo é aquele que está equivalente ao mercado comparando o serviço nos quesitos qualidade, recursos e atendimento.

Outro aspecto que deve ser considerado é o retorno do investimento. É importante ter em mente o(s) objetivo(s) reais e ter certeza que o projeto alcançará estes objetivos.

Por exemplo:

  • Aumentar a carteira de clientes em 50%
  • Atingir a marca de 60 mil reais em vendas pelo site nos 3 primeiros meses
  • Montar uma base de dados de interessados com pelo menos 1000 cadastros